janeiro 30, 2013

Plantas E Flores!

Olá leitores queridos! Bom dia!

Ontem falei de fachadas, e como minha amiga Ro comentou aqui, e realmente ela tem total razão, a casa pode ser simples, mas com plantas, flores espalhadas, ela fica com outros ares!

Isso me fez recordar um livro encantador: “O Menino do Dedo Verde”, que li quando criança e nunca mais esqueci a lição que ele nos passa.

Tudo pode ser modificado com amor, e as plantas, árvores, e flores deixam tudo muito mais lindo, transforma um lugar feio num lugar bonito, traz paz e alegria, e toda a riqueza natural que nos faz tão bem!

Não tem como não se encantar com tantas imagens lindas!

Vejam e vamos plantar e alegrar a nossa vida, como fez Tistu, o Menino do Dedo Verde!


Beijos!








































































































Eu recomendo à toda criança ler esse livro!

Sinopse:
Tistu é um menino muito feliz, que nasceu e foi criado com todo o luxo que seus belos pais - donos da maior fábrica de canhões do mundo - podiam dar e o dinheiro podia comprar. Morava numa mansão - a "Casa-que-Brilha" - e tinha criados que o adoravam. Ao completar oito anos, seus pais decidem que já é hora do filho conhecer as coisas da vida e se preparar para, no futuro, assumir e dar continuidade aos negócios da família. No entanto, logo no terceiro dia de aula o menino é expulso do colégio por dormir durante as aulas. Com isso, os pais de Tistu decidem que a educação do menino se fará dentro de casa, sem livros, através de suas próprias experiências e observações. No dia de sua primeira aula com o jardineiro Bigode, Tistu descobre um dom excepcional: ele tem o dedo verde - o que significa que basta um toque de seu polegar para que surjam plantas e flores onde quer que ele encoste. Com as aulas do Senhor Trovões, ele entra em contato com a violência urbana cotidiana e conhece a infelicidade e a tristeza. Inconformado, Tistu decide mudar o mundo apenas com o toque de seu dedo verde, começando pela cidade onde mora, Mirapólvora.


Tistou les pouces verts (O Menino do Dedo Verde (título no Brasil) ) é um livro infanto-juvenil escrito por Maurice Druon em 1957, sendo este o único livro fictício e de linguagem infantil que o autor escreveu.
Wikipédia








2 comentários:

  1. Olá Quel, tudo bem com vc? Menina, que honra vc ter mencionado meu nome na introdução do post de hoje rsrs É assim que eu sinto a nossa amizade se estreitando, a cada dia. Vc me fez lembrar de uma fase muito gostosa na minha vida. Trabalhei numa biblioteca de um colégio estadual por 12 anos. O Menino do Dedo Verde era uma literatura, quase que exigida para o curso de magistério à época. Era esse e o Fernão Capelo Gaivota, rsrs Nunca vou me esquecer de que foi lá, mergulhada em livros, que eu me apaixonei pela literatura. E passava os dias devorando Machado de Assis, Clarice Lispector, Guimarães Rosa entre tantos outros. Foi o emprego que eu mais amei. Nem me cansava, quando chegava a hora de ir embora, me dava até uma tristeza rsrs Como é gostoso a gente fazer o que gosta né? E pouquíssimas pessoas têm esta oportunidade, eu diria que chega a ser um privilégio. Poder fazer o que a gente mais gosta e ainda ser remunerado pra isso, profissionalmente é a melhor coisa do mundo, ainda que essa remuneração nem sempre seja o suficiente. Mas, deixe-me ir ao post de hoje rsrs Amei aquela casinha de passarinhos com portinha de coração, que fofa! Ah! E aquele gatinho que parece estar se escondendo? Aaaaadoro gatos. Tenho só uma porque ela é muito ciumenta, mas um dia pretendo ter muitos rsrs E aquela janelinha lindinha com rosinhas trepadeiras, vc viu aquela enorme mariposa na grade da janela? Será que é de verdade? Nunca vi tão grande. Jeeeeeeeesus, o que são aquelas camas debaixo das árvores, huuum...Deitar ali e ficar olhando pro céu, só ouvinto o burburinho (aprendi a usar este vocábulo c/ vc rsrs) da natureza. Algumas poucas horas ali, podem valer mais que um período de férias. Que legal aquela lona esticada nas árvores para abrigar as mesas e parece que ali haverá alguma celebração. Que banco lindo ali né? E por falar em banco, aqui tem alguns nos jardins, são lindos bancos que sempre convidam, quem os vê, a se sentarem. Ah, mas aquela mangueira, entrelaçada no tronco de uma árvore, só para alimentar um chuveiro, em meio à natureza, é uma ideia fantástica né? Que delícia, neste calor absurdo, poder tomar um banho, geladinho, em meio a esta paisagem, chega a dar vontade de ter vivido neste tempo. Tempo em que os banhos eram assim, com uma pessoa sempre a vigiar, no caso das donzelas, rsrs Quel, me perdoe pela extensão do coments hoje, mas vc também é culpada. Posta cada coisa heim? E eu que sou fácil de viajar, acabo sendo cansativa. Tem muita, mas muita coisa aqui que ainda eu queria falar, mas o bom senso...Nem parece que eu tenho isso né? rsrs Linda, uma quinta-feira de tirar o chapéu, pra vc e bjks.

    ResponderExcluir
  2. adorei ...................... tudo ..............

    ResponderExcluir

Olá, amo comentários!
Mas, desculpe-me se demorar em responder, a minha vida é uma correria e no tempo livre faço essas postagens que compartilho com você com muito carinho.
Obrigada pela sua visita, seja sempre bem-vindo (a)!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...